Janeiro 2010 | Bang Bang Escrevi

Reencontros

14 de jan de 2010
Reencontros são encontros desencontrados
por alguma razão separados
pelo amor, dor ou tempo.
Um momento inesperado
pelo destino improvisado.
Reencontros marcados, manchados.
Solitários amores passaram.
Sentimentos, sentimentos, sentimentos...
Reencontros trazem a tona
pedaços de torta derrubados,
sorrisos dados, instantes passados.
Um reencontro não é algo ruim,
só é algo que a gente não espera.
É algo que a gente tem medo.
Medo de que a história se repita.
E se alguém quiser mudar a historia,
consertar um ou o erro?
Um reencontro pode ser o melhor lugar,
mesmo a gente nunca sabendo onde vai terminar.
Existem reencontros e desencontros,
marcados ou não,
ninguém se encontra por acaso.
A rotina não permite esse luxo.
Reencontros são rascunhos
de com irá ser o seu futuro.

Ela

13 de jan de 2010
Me apaixonei
quando te vi distraída,
mexendo nos cabelos,
pulsando vida.
Me apaixonei
quando de longe a vi sorrir,
sem sabe o que fazer
preferi fugir.
Me apaixonei
quando do meu lado você ficou
falava doce para os outros,
mas, meu coração que disparou.
Me perdi
quando descobrira
que seu coração
a outro pertencia.
Me isolei
sem saber como falar com você.
Esclarecer a situação
separar amizade de paixão,
até que convicto fiquei
de que amar não crime.
Então, eu te amei.
Mesmo quando você não sabia
das minhas piadas você ria
e parte da minha vida você fazia.

A presa e o predador

12 de jan de 2010
Vou te dar um bom abraço,
Te envolver em aço.
Te puxar pela cintura
Fazer você perder a compostura.
Subir a mão pela sua coluna
Passar despercebido por sua nuca,
E colocá-la entre seus cabelos.
Vou te olhar no fundo dos olhos.
Falar que eles são lindos.
Chegou a hora de perder-me neles.
Você vai sorrir e eu vou te beijar.
Deslizar até sua orelha.
Falar num tom celestial
Eu te amo.
Vou dar uma mordida e assoprar,
Você vai se arrepiar.
Vou descer pelo seu pescoço,
Com o pêlo grosso da minha barba.
Nos meus braços você vai se encolher,
Como alguém que quer se defender.
Vai querer que eu pare,
Mas não vai conseguir dizer.
Vou te apertar com minhas mãos,
Até você se sentir segura
Perder a cabeça
E cometer uma loucura.

Um minuto de silêncio

10 de jan de 2010
O homem, o terno velho em seu cabide. 
Mulher não é sola de sapato que o homem pisa, 
nem saco de areia que com soco o homem agride. 
Mulher não é maçaneta nem corrimão, 
pra homem passar a mão. 
Falta de respeito, falta de educação. 
Ouvido de mulher não é pinico, 
pra ouvir o que saem de bicos, 
de quem se acha galo pra cacarejar ofensas. 
Mulher que carrega lagrima em seu semblante, 
nunca perca a esperança, 
lute pela justiça, 
nessa sociedade enferma e desvairada. 
que mesmo explicando 
nunca entende nada. 
Seja forte como sempre foi. 
Não viva em vão! 
Se der valor e recupere a razão. 
Porque assim... 
Dias melhores virão.

História

9 de jan de 2010
Não se incomode comigo.
Tenho em mim a resposta de todos os segredos,
alguns nem se dão conta de quem sou, 
alguns me vivem 
e outros se deixam viver.
Sou eterna e imutável,
sempre estarei no presente, no passado e no futuro.
Sempre falarão de mim.
Existem ruas e lugares, 
parques e avenidas.
Passei por todos os lares.
Sou mal-educada, 
não sei pedir licença,
não me importo com você,
mas me importo comigo. 
Sou um caminho, uma direção.
Posso ser seu paraíso ou sua perdição 
isso vai depender só de você.
Você vai me conhecer com o tempo,
me admirar na velhice 
e antes que em seu corpo eu pereça
chamaram-me de vida!

Saudade

8 de jan de 2010

Eu tenho saudade de desenhar as linhas do seu corpo com a ponta dos meus dedos, do jeito que as vezes a gente se entreolhava, como se todo o resto não importasse. De como a gente sorria um para o outro como se nós fossemos o único motivo da felicidade, do seu cheiro nos meus travesseiros e no meu cobertor quando você dormia ao meu lado tentando assistir um filme e, agora nesse momento, eu me lembro que sinto saudade de te admirar enquanto você dormia, incapaz de te acordar e interromper a sua expressão de paz que de tão lúcida me confortava.

Eu tenho saudade do veludo de seus cabelos, que você vivia mudando e eu vivia implicando com isso, agora tenho saudade de quando você me perguntava se eu tinha gostado, daquelas discussões sem um motivo real, crises de ciúme e todos os outros desentendimentos que eram banais e que no final a gente sorria um para o outro e tudo se acertava sem que fosse preciso dizer nada.

Eu lembro daquela música que dizia “I say a little prayer for you” que quando tocava, me fazia lembrar das orações que eu fazia para que tudo desse certo e depois a música ainda dizia “forever, and ever” o que me fazia lembrar de que estava vivendo um final daqueles de filmes e novelas que terminam com “...E viveram felizes para sempre.” Mas, não terminou bem assim, porém, a história de hoje não é para ser triste, mesmo tendo potencial para isso.

Porque quando o amor acaba, a gente só lembra dos momentos ruins se quiser, pois tudo que causa dor, fica guardado em um canto não sei onde da memória, onde a gente finge que esquece enquanto ele espera que a gente se lembre. Lembranças boas não são domesticáveis.

Farmácia dos sorrisos

6 de jan de 2010
A farmácia dos sorrisos fica localizada na rua dos amigos próximo a praça dos contadores de história ao lado da padaria conto de fadas. Na farmácia você encontra de tudo para vender, e o que não tiver o sorrizeiro trás para você.

No lugar da balança tem uma máquina de chicletes, nos caixas tem omeletes e nas prateleiras espaguete. Onde ficam os antidepressivos tem indutores de sorrisos e narizes de palhaço de todos os tamanhos e formatos. Na sessão de calmantes você pode encontrar o Psicoalegria para dar ao dia mais vida, os genéricos são apenas uma opção: Azitrocirco, Polaramico, Benotriste, Amoxiriso etc. dentre ele destaca-se o Benotriste por ser doce como mel, em formato de pastel e vem num barquinho de papel que plana pelo céu. O sorrizeiro diz a todos que chegam e aos que pela frente passam que a especialidade da farmácia é vender sorrisos em massa. Todos os produtos possuem a vida inteira como garantia e todos os clientes que compram podem retornar pra um chá de arco-íris tomar. Lá pode comprar qualquer remédio fiado e sem compromisso com o atraso, o dono nem faz questão de que seja cobrado. O nome do dono foi sempre um segredo tudo que se sabe é que ele tem herdeiros tão criativos quanto às pessoas que desenham as nuvens.

A maior parte dos médicos ficam nervosos quando o remédio é comprado lá, só porque na farmácia do desespero eles perdem dinheiro.

Todos os remédios são permitidos, não existem tarjas pretas o que há de errado em tomar Polaramico com Azitrocirco, a mistura é padrão em qualquer medicação e nada possui contra-indicação na hora de vender você pode escolher, eles não pedem receitas a não ser que sejam de bolos. Da juventude a terceira idade todos se respeitam e são iguais, netos brincam com avós até não poder mais. Quem por lá já passou sabe o que encontrou e aprendeu como voltar é só pra dentro de si olhar todos temos a capacidade de sonhar.
“Um dia sem sorriso é um dia perdido.”
(Charles Chaplin)

15 anos

2 de jan de 2010

Meus 15 anos... 
Época das descobertas; 
Quando os meninos, 
Param de brincar com bonecos, 
Para correr atrás das bonecas 
Época de aprender sobre: 
As drogas, sexo e puberdade 
Folhear revistas, 
Provar algumas doses – é opcional- 
E se divertir com algumas garotas. 
Sair com os amigos, 
Fazer coisas erradas, 
Quebrar as regras e, 
Sentir-se feito de adrenalina 
Até acordar numa manhã, 
E descobrir que tudo mudou. 
As brincadeiras viraram responsabilidades 
Que as drogas e o álcool fazem mal, 
E que a camisinha é essencial.

"Se não consegue mantê-lo nas calças, use uma camisinha"
(Propaganda da liga portuguesa contra a SIDA)

Carpe Diem


Sou criança, adolescente, ancião. 
Neste mundo que outrora era real, 
pois, hoje quase todos são artistas. 
Atuando suas agonias interiores, 
melancolias matinais; 
em espetáculos de rotina 
e esquetes de esquina. 
Sou palhaço, malabarista. 
Rindo do sistema. 
Escrevendo poemas. 
Dando gargalhadas pra afastar, 
distanciar, desarraigar; 
Qualquer vestígio de conformidade.
"Carpe Diem, quam minimum credula postero."
"Aproveite o dia, sem confiar no amanhã."
 
Bang Bang Escrevi | Todo conteúdo está sob a proteção da licença Creative Commons 3.0.