Desventuras de uma noite de insônia | Bang Bang Escrevi

Desventuras de uma noite de insônia

10 de fev de 2010
Será que consigo te imaginar tão perfeita quão é?
Seja lá onde estiver, o que estiver fazendo, até mesmo, quem quer que seja. O seu nome, a sua idade, o seu tom de voz, seja o que for e o que vier. Ao que posso limitar e o infinito, a proximidade e o abismo, a realidade e a ficção, o concreto e o abstrato, a vida e a novela, a vida e a morte, a vida e a vida.
Ah! Fraseologia Shakespeare. “Ser ou não ser? Eis a Questão!” Na mesma linha, diga-se de passagem, é ou não é? Onde está você minha ilusão! Será ou não será real? Oh! Imaginação incontrolável que me prega peças deixa-me dormir em paz.

“Penso, logo existo. Existo, logo penso.” Assim dizia o filósofo. O que há de importante nisso se afogo-me nos próprios pensamentos? Se viver é pensar e se pensar é viver, logo viver e pensar é agonizar inúmeras vezes em últimos suspiros, já que nunca chega-se a uma convicção que agrade em um, ambas as partes, sempre alguém está descontente.
Ao silencio, meu público fiel, dedicado e de reputação inquestionável que agora me questiona, perguntando-me sem dizer nada, o que eu estou realmente querendo dizer nesta noite paupérrima de estrelas? Só sei de que nada sei, respondi. E dizendo isso torno-me hipócrita da minha própria resposta, afinal eu sei de que nada sei e isso já é saber de algo.
O silêncio (exceto pelo ladrar dos cães), meu cobertor surrado e idoso, meu triangulo amoroso de travesseiros e ao meu pacato celular, companhia de silêncio reproduzindo o velho e quase esquecido pelas novas gerações, as músicas que por muito tempo representaram um ideal e influenciaram milhões de pessoas: o velho, bom e eterno Rock N’ Roll. E para essas, minhas únicas companhias, antes que eu esqueça seus detalhes, destrincho-te em adjetivos, substantivos e verbos.
Morena de pele quente, contornada a mão pelo Criador. Olhos escuros e misteriosos como a noite que mesmo negra as vezes não perde o brilho das estrelas. Boca não demasiadamente grande nem pequena, mas simétrica, perfeita como tem que ser. Sorriso, Ah! Meu ponto fraco, nada comparado à Monalisa, o gosto de Da Vinci passa longe do meu, algo mais desajeitado como se estivesse envergonhada, porém convicta de seu poder, seria o auge do meu júbilo. Para todo o resto (não que seja resto.) duas palavras: Natural e proporcional.
Proporcional? Sim, dentro das minhas diretrizes proporcionais posso considerar uma melancia e um melão proporcionais tanto quanto um melão e uma laranja. Desculpem-me a indelicadeza, mas antes frutas do que números. Estaria mentindo se afirmasse que sei o tamanho de um busto 90 e um quadril 120. Mulheres não são números. E eu também não pretendo passar o resto da minha vida com uma mulher que se preocupa com seu manequim 38, pode acontecer das medidas se manterem, vaidade sim, luxuria não. O valor de uma mulher de estereótipo saudável independente de seu par de calças está na pigmentação da sua pele, no brilho de seus olhos e na intensidade do seu sorriso.
E outra questão não menos importante, acho que estamos falando de amor e todo mundo sabe, por mais que negue, o amor nos ensurdece, emudece, cega e enlouquece, que diferença afinal faz o aspecto físico? Nenhuma!
Agora, portando despedindo-me, aquelas fraseologias misturadas. Penso, logo existo. Existo, logo penso. Só sei de que nada sei. Ser ou não ser? Eis a questão. Não! Meu inconsciente consciente por um instante gritou emendando; Nem sei quem sou, muito menos se sou ou não, mas aqui a solução do problema está em três perguntas: Quem é ela? Será, o ela, alguém? Será, esse alguém, você?
Victor Candiani

Uma pessoa que gasta muito tempo com livros, filmes e séries.

Comentários
5 Comentários
5 comentários:
  1. Esse eu não conhecia, mas agora éh meu novo favorito!!! Muito lindo *-*

    ResponderExcluir
  2. Muiito lindo, desde quando vc me enviou eu surtei de tão perfeito que é esse.

    ResponderExcluir
  3. Eu fosse você, pensava mais no que fazer de 'faculdade'. Biomedicina?Jesuuus, não joga esse seu talento com as palavras fora, não.
    Amei, amei e amei. Do início ao fim, como sempre.
    :*

    ResponderExcluir
  4. Esse texto tem um significado enorme pra mim.

    ResponderExcluir

 
Bang Bang Escrevi | Todo conteúdo está sob a proteção da licença Creative Commons 3.0.