Março 2012 | Bang Bang Escrevi

04/12

30 de mar de 2012
E o menino navegava em um oceano de desconhecidos. Não se sentia em casa e não tinha uma para voltar. Tinha a companhia da fiel e bagunceira cachorrinha e nada mais. Ainda assim, tinha algo, ao invés de nada. E só restava navegar por mares de emoções que não sentia e encontrar pessoas que não procurava. Sentia-se só, incompleto. Não no sentido amoroso, mas só no sentido interpessoal, onde já se é só por natureza. Era isso que clamava dentro dele: "natureza" e ecoava e ecoava. Buscava atiçar os instintos selvagens que possuímos e se arriscar, mesmo que o único destino fosse uma morte prematura. Queria existir. E nessa selva de pedra não era possível com tantas distrações e preocupações que não são necessárias, com todos esses vícios terrenos e necessidades artificiais nunca seria capaz. Ele era menos do que todas essas coisas e, ao meu ver, infinitamente maior. 

Idios #02: A "antofuckinmitológica" Escola Moderna

16 de mar de 2012
Essa semana fiquei triste. Lendo uma espécie de guia rápido sobre o anarquismo, encontrei um sistema educacional alternativo idealizado por Francisco Ferrer ao qual deu o nome de Escola Moderna e lá amigos, a coisa era linda. Não existia uma grade curricular as matérias existiam, mas os alunos escolhiam de quais queriam participar e a escola funcionava como um atelier onde eles podiam desenvolver essas habilidades. É turvo pensar nisso nos dias atuais, imagina você concluir seu ensino e não saber nada de matemática ou português (Não que isso seja possível, mas muda-se o nome para os Estudo dos números e Estudo da língua e a roupagem velha cai). Mas não era bem assim. A Escola Moderna se valia da Pedagogia Libertária que tornava o Ensino autônomo e de responsabilidade de quem quer aprender. <- Tem coisa mais linda do que isso.

As matérias
As matérias são colocadas à disposição do aluno, mas não são exigidas. São um instrumento a mais, porque o que realmente é importante para a pedagogia libertária é o conhecimento que resulta das experiências vividas pelo grupo. O método de ensino, portanto, dá-se na vivência grupal, é na forma de autogestão que os alunos buscarão encontrar as bases mais satisfatórias de sua própria aprendizagem, sem qualquer forma de poder. Trata-se de colocar nas mãos do aluno tudo que for possível. Os alunos têm liberdade de trabalhar ou não, ficando o interesse pedagógico na dependência de suas necessidades ou das do grupo.
O professor 
A pedagogia libertária considera desde o início a ineficácia e a nocividade de todos os métodos à base de obrigações e ameaças. Nesse sentido, o professor deve se por a serviço do aluno sem impor suas concepções e idéias, sem fazer do aluno um "objeto", ele deve se misturar ao grupo para uma reflexão em comum.
Toda essa liberdade de decisão tem um sentido bem claro. Se um aluno resolve não participar, o faz porque não se sente integrado, mas o grupo tem responsabilidade sobre esse fato e tem que colocar a questão em discussão.
As avaliações
O critério de relevância do saber é seu possível uso prático. Por isso mesmo não faz sentido qualquer tentativa de avaliação da aprendizagem, ao menos não em termos de conteúdo. 
Em suma: Mano, o bagulho é empírico.

É um sonho imaginar algo assim, já que a desobediência civil só existe na escola, onde ninguém se preocupa em aprender o que realmente é importante e se apega a teoria vomitada pelas diretrizes básicas das grades curriculares ~viagem~...
Enfim, nasceu o PCB e os comunistas caçaram a Escola Moderna, declarando o seu fim. É o que dizem, Marx era foda e os Marxistas fodidos.

Se informe mais e vá além (Pedagogia Libertária isso aqui)
Paideia - Pedagogia libertária
Wikipédia - Escola Moderna
Wikipédia - Paulo Freire
Wikipédia - Francisco Ferrer

Ah, vai me falar que o wikipédia não tem credibilidade? já sabe a resposta.

03/2012 ♫

Essa é a nossa melodia e talvez ela não precise de um fundo, - sabe na partitura quando se tem a clave de sol ou dó no começo? - apenas dependente das notas, sem a afinação. Como se cada nota minha junta a outra sua , explícita no ar, tilintasse um som que só nós compreenderíamos, porque em cada compasso de quatro tempos essas duas notas fossem completadas com mais duas, o contraponto, a batalha que a melodia prega em seu ser. Para nós, a batalha escrita na entrelinha que só quem vive consegue premeditar a próxima nota. Ficando assim, minha nota, você, sua nota, eu. E de compasso em compasso formássemos a nossa melodia, a nossa vida, o nosso amor. 

Idios #01: Conceito, projetos e internets

9 de mar de 2012
Como disse no post anterior vou abrir o leque de opções do blog.
Começando com o conceito: 
Idiossincrasia (do grego ἰδιοσυγκρασία (idiosynkrasía), “temperamento peculiar”, composto de ἴδιος (idios)“peculiar” e σύγκρασις (synkrasis) “mistura”) é uma característica comportamental ou estrutural peculiar a um indivíduo ou grupo.
É isso mesmo, o que eu acho de determinada cousa (tão chique) ou algo.
Chega da teoria que nem existiu. Os grandes projetos desse ano são:

1º Ler mais livro do que meses do ano.
Nota: ano passado tentei ler 52 livros ou a quantidade de semanas que o ano tem e como era de se esperar acabou a grana e li míseros 10 ou 11 livros. Por isso esse ano a meta é menor.

2º Assistir mais filmes do que dias do ano.
366, diríamos que estou no 80 ainda. Talvez comente sobre eles aqui. Tem uma página no tumblr onde escolho filmes educativos/provocativos/docaralho e afins. Ela é atualizada na velocidade de uma lesma, mas atualiza.

Tem mais, mas o resto é apenas inserção social, então, irrelevantes pra mim.

Vago horas e horas pela internet (pensei em dizer que surfo, mas nem ficar em cima de um skate eu consigo). e a grande descoberta da semana são dois sites interessantes e de assuntos totalmente distintos. O primeiro é o Break.com que é um site de vídeo cassetada que o faustão não exibe, porque aquele programa não tem acesso a internet. Pra sentirem o clima do site recomento o vídeo do "The Annoying Devil" ou "O Diabo Chato" em português, garanto boas risadas. O segundo é o Jamendo, dica do Catraca Livre. É um site onde é possível baixar músicas de graça (pra uso pessoal)  sem ser outlaw. pra começar maneirinho vou deixar a playlist de um tal de Carlos Saura que fez umas músicas instrumentais em guitarra e que deveriam substituir as originais músicas ambientes dos elevadores do mundão.
Você deve estar se perguntando: Victor você acha errado burlar a lei?
Nem um pouco! Devo lembrá-los de algo que obviamente não sabem. Sou anarquista, então, fodam-se vocês, fodam-se suas leis, aliás, excelente a nova música do Emicida.



É inteligência ainda é dedo na ferida e pimenta no cú da opressão.
[Fechou]

Dia da mulher

Todo dia tem mulher na pia, no fogão, no tanque, na mesa de, no quintal, na rua, nos ônibus, na calçada, com a bucha, a vassoura, a mangueira, o ferro, a escova. Tem mulher em tudo quanto é canto, enquanto o mundo transforma o dia internacional em mais uma hipocrisia mercadológica, elas continuam nos seus lugares, na pia, tanque, fogão etc. Não por serem mulheres, isso é preconceito. É por sobrevivência mesmo, mulher um ser adaptável. Sustenta lar, família. Saí cedo pra trabalhar, chega tarde e ainda tem problema pra resolver com filho mimado ou vagabundo que não faz nada da vida. E vocês aí sustentando essa ideia minúscula de que hoje é um dia especial, foi especial para as mulheres de décadas atrás que conquistaram ele e hoje são fantasmas da história. Dia especial é quando não falta pra você, tudo que a mulher internacional "especial" não teve. Quem pensa que hoje é um dia feliz, vire a esquina e encontre a próxima forca. Hoje é só mais um dia pra quem pegou a labuta às 5 da manhã. Feliz dia internacional da mulher? não mesmo, boa sorte e que consiga voltar a salva para casa.
 
Bang Bang Escrevi | Todo conteúdo está sob a proteção da licença Creative Commons 3.0.