Sonetos dos Sentidos: Olfato | Bang Bang Escrevi

Sonetos dos Sentidos: Olfato

30 de abr de 2012
Seu doce cheiro vem forasteiro embriagar a noite
com o objetivo de tirar meu sono como uma foice.
Feito nota musical que transita pelo ar leve e solto,
tão bom, tão pouco e tão impregnado na roupa.

A perdida comida que o cão busca com seu focinho,
o alguém na multidão que busca um caminho.
A andorinha que depois do inverno vem refazer seu lar,
o pobre homem deitado em sua cama com o coração a dar.

Mas não tarda ao coitado seu destino encontrar,
nos limites do improvável o que possa acontecer
e antes de que possa perceber o inebriante cheiro doce voltar.

Mas também não tarda ao pobre homem adormecer,
e esquecer que nesse breve momento a dormir está
venha assim  a justiça da paixão agir e com a linda donzela sonhar.
Victor Candiani

Uma pessoa que gasta muito tempo com livros, filmes e séries.

Comentários
0 Comentários
Deixe seu comentário
Postar um comentário

 
Bang Bang Escrevi | Todo conteúdo está sob a proteção da licença Creative Commons 3.0.