Maio 2013 | Bang Bang Escrevi

Resenha: Prévia da HQ Desterro, Ferréz e Alexandre de Maio.

24 de mai de 2013
Título: Desterro
Autor: Ferréz
I.S.B.N.: 9788560137404
Altura: 25,5 cm.
Largura: 16,5 cm.
Profundidade: 1 cm.
Acabamento : Brochura
Edição : 1 / 2012
Idioma : Português
Número de Paginas : 176
Ilustrador : Alexandre de Maio
Editora: Anadarco

O bagulho é loco. 
Ferréz, conhecido nas periferias de São Paulo, já publicou 6 livros, entre eles Manual Prático do ÓdioCapão Pecado e Ninguém é Inocente em São Paulo. De Maio trabalhou como editor de revistas, lançou Os inimigos não mandam floresproduz matérias em quadrinho para Revista Fórum e Atualmente é responsável pela parte de HQ's do site Catraca Livre.

Resenha: Private Eye #1 HQ Monstra, Brian K. Vaughan e Marcos Martin.


Antes de mais nada, deixa eu adiantar, não entendo horrores de quadrinho, só o essencial, então, se ficar descontente já sabe o que fazer.

Brian K. Vaughan e Marcos Martins lançaram o site Panel Syndicate com o objetivo de disponibilizar uma HQ independente sem a interferência de ninguém, vulgo editora, publicitários etc. a ideia era criar um ambiente onde os fãs ou o público em geral pudesse ter acesso a um material de qualidade ao preço que achasse justo pagar. Essa é a premissa do Panel Syndicate onde você pode baixar a HQ gratuitamente ou contribuir com o trabalho dos artistas. A primeira edição tem disponível em português e a segunda saiu em catalão, espanhol e inglês, mas provavelmente também saíra na nossa língua.

Resenha: A invenção de Hugo Cabret, Brian Selznick

21 de mai de 2013
Título Original: The invention of Hugo Cabret
Autor: Brian Selznick
Tradução: Marcos Bagno
I.S.B.N.: 9788576752035
Altura: 21 cm.
Largura: 14 cm.
Profundidade: 3,4 cm.
Acabamento : Brochura
Edição : 1 / 2007
Idioma : Português
Número de Paginas : 533
Editora: SM Edições
Avaliação: 

Nada melhor pra começar a resenha do que as próprias palavras da "Breve Introdução":
"... antes de virar a página, quero que você se imagine sentado no escuro, como no início de um filme. Na tela, o sol logo vai nascer, e você será levado em zoom até uma estação de trem no meio da cidade. Atravessará as portas de um saguão lotado. vai avistar um menino no meio da multidão e ele começara a se mover pela estação. Siga-o, porque este é Hugo Cabret. Está cheio de segredos na cabeça, esperando que sua história comece."

Resenha: Cyrano de Bergerac, Edmond Rostand

18 de mai de 2013
Título: Cyrano de Bergerac
Edição: 1
ISBN: 8513011126
Editora: Nova Cultural
Ano: 2003
Páginas: 334
Avaliação:


Quem é o Cyrano?
Em poucas palavras, um fodão.

A peça tem o intuito de relatar a vida do escritor e duelista Hector Savinien de Cyrano de Bergerac (1619 - 1655) e em todas as obras referentes a ele, a protuberância do nariz é relatada. O contexto histórico está relacionado ao período da Guerra dos Trinta Anos entre a França e a Espanha, onde Cyrano luta na frente francesa. A princípio a peça foi escrita com quatro atos que se passam em 1640 e só teve o quinto ato publicado em 1655. Acredita-se que Roxane era uma prima de Cyrano (o real) que morava com sua tia, Catherine de Cyrano, em um Convento, onde Bergerac foi atendido após ter sido atingido por uma viga de construção.

Cyrano é apaixonado por sua prima Roxane, cuja qual, cresceram juntos. Nunca declarou seu amor, até descobrir que ela é apaixonada por Cristiano, que não sabe como se expressar com ela e oculta esse amor. Até que Cyrano, em uma tentativa frustrada de revelar seu amor, descobre os sentimentos da prima quanto a outro homem e decide ajudá-lo a conquistá-la e manter, dessa vez, o seu amor oculto.

De momentos cômicos a tristes, a peça trás um duelo contra cem homens, uma serenata e uma morte épica. Dentre os momentos da peça, D'Artagnan um dos três mosqueteiros faz uma aparição com um comentário sobre a perícia de Cyrano com a espada. A peça virou filme em 1946, mas trazendo para atualmente e não entrando em muitos detalhes, em 1990 Cyrano, foi interpretado por ninguém menos do que Gérard Depardieu, outro ilustre mantenedor de uma grande napa.

Sinopse

Cyrano é um brilhante poeta e bravo espadachim que vive na França do século XVII. Dono de um enorme nariz, e achando-se feio e desprezível, teme declarar o seu amor a Roxana, sua bela prima. Esta, por sua vez, é apaixonada por um colega de Cyrano, o cadete Cristiano, que não tem qualquer talento para expressar seus sentimentos pela jovem. Sem esperança de conquistar a prima, Cyrano ajuda o cadete, redigindo suas declarações de amor.

A peça é totalmente escrita em verso e conforme você vai lendo você adquiri o ato de falar rimando, que pode ser complicado de se controlar, até que enfim normalmente você volte a falar. Hahaha. A edição que consegui é da Nova cultural com parceria com a Suzano que já falei em Crime e Castigo - Fiodor Dostoiévski  e A Metamorfose - Franz KafkaAbaixo o trailer do filme de 1990.


De vida resta-lhe um fio:
Todos os santos invoco!
Príncipe, adeus! (ferindo-o) Morte ao Vil!
(Valvert cambaleia; Cyrano saúda)
Ao fim da quadra eu o toco.

Resenha: Mil cairão ao teu lado, Suzy Hasel Mundy e Maylan Schurch.

15 de mai de 2013
Título: Mil cairão ao teu lado
Autor: Suzy Hasel Mundy e Maylan Schurch.
I.S.B.N.: 8534508585
Altura: 21 cm.
Largura: 14 cm.
Profundidade: 0,9 cm.
Acabamento : Brochura
Edição : 01 / 2004
Idioma : Português
Número de Paginas : 192
Editora: Casa Publicadora
Avaliação:

Franz Hasel, é um alemão de 40 anos de idade, que trabalha na Casa Publicadora de Hamburgo como colportor - vendedor de livros de porta em porta -, Casado com Helene e pai de três filhos: Gerhard, Kurt e Lotte. Numa manhã de sábado recebe uma carta de convocação para se unir as tropas na Segunda Guerra Mundial. Não simpatizava com os ideias nazistas, foi designado para a Companhia 699, Pioneiros do Parque - guardem esse nome -, que tinham como principal função construir pontes.

Resenha: O Lobo da Estepe, Hermann Hesse

4 de mai de 2013
Título: O Lobo da Estepe
Autor: Hermann Hesse
Editora: Record/Altaya
ISBN: 8501154164
Ano: 1995
Páginas: 224

Tradutor: Ivo Barroso
Avaliação:


Ah, Harry, quanta miséria e desatino temos de passar para chegar a casa! E não temos ninguém que nos guie, a não ser nosso desejo de chegar. (Hermínia) [Pg. 157]
Manolos vou falar pra vocês... que livro fantástico. Esse é aquele típico livro que não pode ser julgado pela capa. Até porque, a capa do meu era simples de uma edição bem antiga (entre 1993 e 1995) da Coleção Mestres da Literatura Contemporânea lançada pela Editora Record/Altaya com lombada e capa com detalhes dourados. Linda. Mas vamos a resenha.
 
Bang Bang Escrevi | Todo conteúdo está sob a proteção da licença Creative Commons 3.0.