Junho 2013 | Bang Bang Escrevi

Resenha | A Guerra dos Tronos Vol. 1 HQ

27 de jun de 2013
Título Original: A Game Of Thrones Vol. 1
Autor: George R. R. Martin
I.S.B.N.: 9788577343911
Altura: 25 cm.
Largura: 17 cm.
Acabamento : Brochura
Edição : 1 / 2013
Idioma : Português
Número de Paginas : 240
Tradutor : Bruno Dorigatti e Guilherme Costa
Editora: A minha ainda é Barba Negra, mas atualmente ela é produzida pelo selo Casa da Palavra
Avaliação:

Definitivamente eu adoro HQs, mas detesto, profundamente, resenhá-las. O processo de produção  envolve um milhão de pessoas e a maior parte merece destaque e tem também infinitos artistas, por isso, receio que essa sera a maior resenha que já escrevi no blog e terei que dividi-la em subtítulos para não tornar isso um guisado de Westeros. Outra coisa, mas não menos importante: Todas as imagens aparecem em tamanhos maiores quando abertas em uma espécie de Galeria que o Blogger chama de Lightbox.

Os Destaques.

A arte sem dúvida de Michael Komarck e o cuidado da editora de trazer um prefácio escrito pelo próprio George "mata personagens" Martin contando toda a sua relação com histórias em quadrinhos e de como ele começou a lê-las, com algumas piadas internas, como a de não se apegar demais aos personagens e no final o Making Of da produção da HQ dando os relatos e expectativas de toda equipe e um destaque especial para Tommy Patterson e a construção de personagens. E claro, agradando aos leitores com rascunhos da produção e deixando um gostinho de quero mais prometendo para o próximo volume um Making Of de como é produzir a história desde a página do livro até a arte final da edição pronta para ser comercializada.

A História.

Sem muitas novidades aqui. Pra mim que assisto a série, leio os livros e agora agracio a HQ não tenho o que, sinceramente, acrescentar. São três meios de linguagem completamente distintos e em cada um deles a história se mantem fiel em sua grande parte. Sim é muito fiel. E acho que como fãs não esperaríamos algo diferente. Lidar com adaptações é e sempre será caminhar no fio da navalha. Além do mais, Martin é extremamente exigente quanto as adaptações.
O que posso adicionar então. O começo é espetacular e frio e o final é quente, doce e saboroso.

A Arte

Sensacional é a primeira palavra que vem a minha cabeça. Todo o escopo da HQ foi desenhado por Tommy Patterson, com exceção das aberturas de capítulos que são de Mike S. Miller e as imagens que abrem e fecham o prefácio são do Alex Ross, que é conhecido pelo grau de realismo que consegue dar aos desenhos, mas acho que o Komarck supera esse realismo infinitamente.
Abaixo respectivamente: Komarck, Ross e Patterson.

  

A Adaptação

Os traços são incríveis e os personagens pouco se parecem com os da HBO e isso é explicado no Making Of, eles teriam que possuir uma estética diferente. Assim como Khal Drogo visto acima é animalesco e parece que saiu de uma HQ dos Vikings ou do Conan, Daenerys é o oposto mostrando ser frágil e com traços de realeza. Abaixo diversos momentos em Winterfell e um pouco de além-da-muralha.

   

Outras coisas que notei é que as feições do Tyrion dão-lhe um ar de macaco, e que as roupas dos Starks parecem uniformes de guerra, principalmente os da Guerra Civil Americana, a terceira imagem é do uniforme da Marinha Chinesa da Primeira Guerra Mundial. E ainda falando dos Starks, as suas fisionomias remetem ao jogo Castlevania, que possui diversos títulos. As características se assemelham com os membros da Família Belmont.

  
O primeiro volume contém 6 edições que são lançadas mensalmente, o segundo já pode ser adquirido na Amazon em inglês e contem as edições 7-12 e não tem notícias ou a previsão do seu lançamento no Brasil.
E provavelmente o próximo volume será diferente desses, tendo em vista que a Editora Barba Negra fechou suas portas no final de 2012. Espero que encontrem outra editora para dar continuidade ao trabalho magnífico que é essa HQ e que logo lancem o próximo volume tendo em vista que estão planejados 24 edições mensais no total o que caracteriza 4 volumes de Novela Gráfica para nós.

Leia aqui mais resenhas da série. Unpacking do meu Box e dos livros 3 e 4 adquiridos na Submarino, resenha de Guerra dos Tronos, A Fúria dos Reis, um post especial com as comidas e bebidas do segundo livro, resenha de A Tormenta de Espadas e por último a visita a Exposição da Série que aconteceu aqui em São Paulo.

Sinopse

O inverno está chegando é o lema da casa Stark, o feudo mais ao norte entre os que devem fidelidade ao Rei Robert Baratheon na distante Porto Real. Lá, Eddard Stark de Winterfell governa em nome do rei e vive em paz com sua mulher, Catelyn, seus filhos Robb, Brandon e Rickon, suas filhas Sansa e Ayra, e o bastardo Jon Snow. Mais ao norte, atrás da imponente Muralha, vivem os selvagens Wildlings. Depois que Jon Arryn, a Mão do Rei segunda pessoa mais importante dos Sete Reinos depois de Vossa Majestade morre em circunstâncias misteriosas, Robert se dirige a Winterfell com sua família: sua mulher, a rainha Cersei, seu filho, o príncipe Joffrey, e os irmãos da rainha, o esgrimista Jamie e o anão Tyrion, da poderosa casa Lannister.
Enquanto isso, através do Mar Estreito, o príncipe Viserys, herdeiro da derrotada casa Targaryen, que uma vez governou toda Westeros, planeja recuperar o trono com o exército do bárbaro Dothraki cuja lealdade ele pretende obter com a única moeda que possui: sua bela e ainda inocente irmã, Daenerys.

Bom good fellas é isso :)

Resenha: Chão de Vento, Flora Figueiredo

24 de jun de 2013
Título: Chão de Vento
Autora: Flora Figueiredo
I.S.B.N.: 8575091239
Altura: 21,5 cm.
Largura: 16 cm.
Profundidade: 1 cm.
Acabamento : Flexível
Edição : 01 / 2005
Idioma : Português
Número de Paginas : 91
Editora: Geração Editoral
Avaliação:
Surpreendente. Toda poesia esconde um segredo, um mistério. Flora Figueiredo ilustra bem isso, quando não dedica a poesia a alguém - e quando isso acontece é apenas ao primeiro nome da pessoa - deixa a cargo do leitor fazer as interpretações e descobrir o que a inspirava naquele momento. Tem poesia sobre ser mãe, sobre ver os filhos crescerem, sobre amar e não ser amada, sobre política, sobre a própria construção do livro, sobre as artimanhas do tempo, enfim, sobre um milhão de coisas.

Resenha: Conto de Natal, Charles Dickens.

6 de jun de 2013

Título Original: Christmas Tales
Autor: Charles Dickens
Coleção: Biblioteca de Ouro da Literatura Universal
Editora: Revista Minha
Tradução: Jorge Vidal Pessoa
Avaliação:
Eu sei que está cedo para o natal, mas estava afim de uma leitura despretensiosa então peguei esse clássico e o li e se não fosse a procrastinação e o período de provas/apresentações na faculdade teria terminado em coisa de 4 ou 5 horas só pelo prazer da leitura.

Acho que não comentei aqui, mas algumas semanas atrás eu fui em uma distribuição gratuita de livros promovida pelo Sarau do Binho, não vou detalhar muito porque vou fazer uma postagem sobre isso e lá adquiri esse livrinho da editora Minha, mas creio que, na verdade, seja Revista Minha. O livro faz parte de uma coleção com 20 volumes chamada Biblioteca de Ouro da Literatura Universal. Vi aqui e a imagem também é de lá.
 
Bang Bang Escrevi | Todo conteúdo está sob a proteção da licença Creative Commons 3.0.