Resenha | A Comédia Trágica ou a Tragédia Cômica de Mr. Punch, Neil Gaiman | Bang Bang Escrevi

Resenha | A Comédia Trágica ou a Tragédia Cômica de Mr. Punch, Neil Gaiman

30 de out de 2013
Título Original: The Tragical Comedy or Comical Tragedy of Mr. Punch
Autor: Neil Gaiman
Ilustrações: Dave McKean
I.S.B.N.: 9788576164142
Altura: 29 cm.
Largura: 21 cm.
Profundidade: 1 cm.
Acabamento : Encadernado
Editora: Conrad
Número de Paginas : 104
Avaliação:

Putz... Tem um tempo né? Pois é, não vamos enrolar então.

Horripilante seria a palavra mais adequada para definir o livro com o maior título que já vi na vida, por isso vou adotar só Mr. Punch. Sim, é horrível, não que isso seja prejudicial nesse caso, porque afinal ser ruim é o que torna uma história de terror boa. Então, é excelente. O que tiver que ser negativado aqui é culpa da Editora e da pobreza.

Mr. Punch é um fantoche usado em uma apresentação clássica da Inglaterra e isso é totalmente prejudicial para o enredo da história, afinal... Como nós meros e tropicais mortais seríamos experts em cultura inglesa? aí nasce o problema, devido a isso bate aquela ausência de história, de estar faltando um pedaço que daria sentido a tudo.

Em contraponto temos a bela história que trata das memórias de um jovem - e Gaiman é mestre em não dar nome aos seus protagonistas, como em O Oceano no Fim do Caminho - que descobre segredos de família e um desabrochar da sua relação com a morte e com os adultos. Ele passa toda a história na casa dos seus avós maternos e paternos e vai contando coisas que lembra e ao mesmo tempo lembrando coisas que contaram para ele sobre as pessoas da história.

Punch nunca morre, por mais que os demais fantoches tentem encurralá-lo ele sempre se safa. A crueldade de Punch é sem precedentes e deve funcionar como uma história para explicar a morte, assim as crianças não ficam culpando Deus, mas sim a Punch - viajei nisso, mas faz um pouco de sentido... A imaginação do garoto o leva a acreditar que Punch também tenha levado alguns de seus entes à morte, mas é apenas um breve devaneio. Viu como a falta do pedaço britânico prejudica a resenha? Fica incompleta.

Vamos falar da Arte: Dave McKean é parceiro antigo de Gaiman e fez um trabalho excelente em Mr. Punch a mesma linha artística de Sinal e Ruido e de tantas capas de Sandman. Outra coisa dos trabalhos de Gaiman, que poupa muito do meu tempo de pesquisa, são suas notas, quase sempre estão lá, para não serem apenas nomes jogados ao vento.

Agora, a mancada... Falei que a culpa era da editora e da pobreza, pois bem. A pobreza faz a pessoa comprar a obra por 9,90 em uma promoção do Submarino, mas a editora que imprime em um papel que fede horrores e além disso o tratamento fosco da capa e contracapa soltou completamente. Então, indico amplamente a obra pelo conteúdo artístico que é lindo e pela história, mesmo faltando a "cultura britânica", mas não a "Edição Especial" da Conrad, ela tem uma outra que é em capa-dura com papel couché, que é linda, mas cara.

Sinopse

Em Portsmouth, cinzenta cidade do litoral da Inglaterra, um garoto passa uma temporada inesquecível na casa dos avós.
Um período de amadurecimento e descobertas, reveladas por personagens insólitos: seu tio-avô Morton, marcado desde a infância por uma deficiência física; uma misteriosa mulher, que ganha a vida interpretando uma sereia, e Swatchell, um artista com um passado obscuro.
À medida que as histórias desses personagens se entrelaçam e se desdobram, o garoto é forçado a confrontar segredos de família, estranhos fantoches e um pesadelo de violência e traição, em uma sombria fábula sobre o fim da infância - e da inocência - e a passagem para a vida adulta.
MR. PUNCH foi escrito por Neil Gaiman, aclamado autor de SANDMAN, DEUSES AMERICANOS E COISAS FRÁGEIS, e ilustrado por Dave McKean, premiado artista de Asilo Arkham e Cages. Parceiros de longa data, já realizaram diversos trabalhos juntos, entre eles a graphic novel SINAL E RUÍDO.

Leia mais Resenhas
Victor Candiani

Uma pessoa que gasta muito tempo com livros, filmes e séries.

Comentários
0 Comentários
Deixe seu comentário
Postar um comentário

 
Bang Bang Escrevi | Todo conteúdo está sob a proteção da licença Creative Commons 3.0.