Resenha | A Pomba, Patrick Süskind | Bang Bang Escrevi

Resenha | A Pomba, Patrick Süskind

22 de nov de 2013
Nome Original: Die Taube
Autor: Patrick Süskind
Tradutor: Reinaldo Guarany
Acabamento: Brochura
Páginas: 112
Editora: Record
Avaliação:

Esse é mais um dos livros que peguei na distribuição que o Sarau do Binho faz todo o mês em frente ao Term. Campo Limpo. Para saber mais do projeto e não perder o dia da próxima distribuição curta a página do Sarau do Binho no Facebook.

A pomba é um livro tão miudinho, tem apenas 112 páginas e uma letra gigantesca, dá pra ler em um dia tranquilamente, quer dizer se você suportar a pressão. O alemão, Patrick Süskind, é um dos mais reclusos escritores que existe, ele abomina sessões de autógrafos e por estar vivo, escreve pouco, seu último livro, que na verdade é um ensaio, foi Sobre o Amor e a Morte. Isso se dá pelo fato dele não escrever apenas livros, ele escreve roteiros para a televisão alemã também. O seu sucesso veio da obra O Perfume, que já ganhou resenha por aqui. E muita gente não gosta dele por causa disso, Sabe aquela história do autor que só tem um livro, então. Eu acho besteira. Tem tanto autor ruim hoje em dia. Mas vamos parar de papo.

Desde o perfume deu pra perceber a capacidade do autor de fazer o leitor sentir sensações como ódio e asco. Em A Pomba ele segue com a mesma forma de escrita enquanto perseguimos a vida do protagonista Jonathan Noel, que tem uma vida simples e pacata, totalmente monótona e pragmática. Acho que as gerações mais velhas sabem bem do que estou falando: arrume um emprego, tenha estabilidade e só faça isso e mais nada. Em suma, Jonathan é um cara que não gosta de mudanças. Mas a natureza não perdoa e em um belo dia toda sua rotina é quebrada pela presença de uma simples pomba.

Daí a vida do nosso protagonista desanda, é muito fácil falar desse livro, porque a história é bem simples contata de uma forma a te fazer acompanhar o estado de espírito de Jonathan. É só pensar... Quem nunca teve aquele dia em que a gente acorda e sabe que é melhor não sair da cama, porque todo o universo irá conspirar contra você? Pois então, é disso que o livro fala. Tanto que no final você deseja tanto quanto o protagonista que o dia simplesmente acabe. Dava pra melhorar essa parte da resenha, mas teria que dar um spoiler bem do final do livro, e não farei isso.

Eu sou meio cismado com as coisas, tive a impressão de ter alguns dias ruins depois de ler o livro, como se fosse uma espécie de maldição, sabe? Mudando a frase de "leia em um dia se aguentar a pressão" para "leia se tiver coragem."

Outra coisa, conversando com a minha namorada sobre a história chegamos a duas conclusões diferentes. A minha é de que a pomba quebrou a rotina do Jonathan para algo negativo, algo que ele não queria ou gostasse, porque considerei a estabilidade dele algo que fazia bem para ele. Ela entendeu a pomba como algo positivo, que o fez quebrar a rotina e interagir com coisas diferentes e outras pessoas e que talvez ele precisasse disso. Sei que ambas as conclusões são cabíveis, mas e você, que já leu, o que achou?

PS. Andei pesquisando e parece que essa versão da Record de 1987 é a única disponível em Português do Brasil, na busca só aparecem duas versões, uma no Wook e outra na FNAC-PT, sendo que ambas estão em Português de Portugal. E mais, a Editora Record/Grupo Record nunca mudou de endereço :)

Leia mais resenhas
Victor Candiani

Uma pessoa que gasta muito tempo com livros, filmes e séries.

Comentários
0 Comentários
Deixe seu comentário
Postar um comentário

 
Bang Bang Escrevi | Todo conteúdo está sob a proteção da licença Creative Commons 3.0.