Especial | Bienal 2014, Lado B: A feira | Bang Bang Escrevi

Especial | Bienal 2014, Lado B: A feira

27 de ago de 2014
Dando continuidade ao post de ontem, Lado A: Compras, agora vamos falar da feira como um todo. Adorei a Bienal, sério. Andei horrores, parecia tão grande no começo e no fim do dia a gente caminhava pouco e chegava onde queria, vi estande por estande, não sobrou nenhum lugar no meu mapa que não foi riscado. A feira é sensacional, a proposta é única e surpreende você ler coisas como "O BRASILEIRO NÃO LÊ", se não lesse a feira não lotaria, as crianças não ficariam correndo feito loucas de um estande pra outro, dando problema para os monitores e professores. Mas vamos lá, vou contar o que mais aproveitei e fiz por lá. E pessoal, para ampliar as fotos é só clicar nelas, e sim, esse é um post cheio de fotos.

Vamos começar pelos espaços da feira. Tinha o Imaginário e o Cozinhando com palavras, sem falar na Praça de histórias e na Praça de palavras, eram mega instalações destinadas a explorar o mundo da leitura, no cozinhando com palavras era só pegar senha e comer de graça :). Não fomos porque o prato do dia era um banquete dos orixás e minha namorada não curte muito a cultura do candomblé, porque é de outra religião e tal.

Agora vamos de estandes. Os estandes estavam magníficos, daquele tipo que foi feito para o leitor, a Novo Século nem se fala, com seus livros gigantes, A Peirópolis, toda colorida, que depois me arrependi de não ter entrado e conversado com as pessoas, porque tava correndo pra ver outra coisa. Também tinha o estande da Coquetel, com sua mega palavra cruzada, eu apareço na foto, alimentando meu vício. E claro, a Top Livros, que quase não era um estande, mas que tinha o agradável e chamativo preço de R$ 10 em uma mega faixa. Apesar de não ter adquirido nada, tem muitos títulos bons lá.

Depois, dei uma passada no estande da Saraiva, com o único propósito de testar o LEV, e sinceramente, não gostei, o leitor é super leve e o texto flui bem, mas o seu design é de cortar a mão, literalmente. Ele tem as bordas arredondadas e curva não é sutil, o que gera um desconforto (dor) na hora de segurar o leitor, talvez pra quem tenha mão enormes, não, mas eu com minhas mãos normais e o público feminino irão sofrer, não sei se segurar ele pela lateral é confortável (foto), já que lá ele estava com o alarme o que deu um suporte nesse tipo de pegada, sem, talvez, não fosse nem seguro segurar ele assim, porque pode escapar da mão, e aí, já era. Na feira o LEV estava saindo por R$ 198 sem iluminação e R$ 378 com iluminação, o que significa que ele estava R$ 1 mais barato que o Kindle, no micro estande da Amazon.

Já que estamos falando de grandes redes do mundo literário... Vamos ao estande da Submarino, que teve a cara de pau de colocar computadores para que você comprasse seus livros no site da loja, e mais, livros adquiridos até o meio-dia, eram entregues no mesmo dia. Ou seja, vamos a feira comprar livros no site da submarino, totalmente desnecessário, mas completamente inteligente e de nível um marketeiro extremo.

Aproveitando que estava na feira, e leitor voraz, tinha o livro do Sarau do Binho comigo, aquele do qual participo das distribuições de livros gratuitos, que vocês já estão cansados de ouvir eu falar, então, fiquei feliz ao saber que o Binho estaria contanto sua história na Praça de Histórias, ao lado do ilustre, Sérgio Vaz, poeta da quebrada, criador do Sarau da Cooperifa, mano, logo dei de Stalker e garanti meu autógrafo. Sem falar que ainda tivemos algumas boas poesias declamadas.

No específico, a feira foi isso aí de cima, no geral, deu pra conhecer o trabalho dos Menores Livros do Mundo, com micro livros super bem acabados; deu pra conhecer o D4mon3, que depois de muitos anos de RPG, deu um final para Caverno do Dragão; A pequena exposição Adoro Papel, com obras de Carlos Meira, feitas com papel e relevo, uma pena a iluminação não ajudar na foto; no estande da WMF Martins Fontes, deu pra ver todas as capas de Quem é Você Alasca?, sim as novas. E até a minha namorada deu uma stalkeada em uma de suas blogueiras ao encontrar um livro, cujo qual, ela escreveu o prefácio, porque adora sereias. No estande da Novo Século, conheci a Graciele Ruiz, que é um amor de escritora, pena o livro ser tão caro, mas não vou deixar de divulgar o seu trabalho, O Senhor da Luz: A Saga de Datahrium, e o da querida, Denise Flaibam, que vi por lá, também, Os Mistérios de Warthia: A Profecia de Mídria.

Sem falar nos milhares de detalhes que os estandes nos reservam, como personagens e elementos dos livros. No da Leya tinha o Trono de Ferro, que não sentei, porque já tenho uma foto no trono, no dia da exposição de GOT no JK Iguatemi.

Mais algumas fotos.

É isso aí pessoal #bienaldolivrosp
Victor Candiani

Uma pessoa que gasta muito tempo com livros, filmes e séries.

Comentários
0 Comentários
Deixe seu comentário
Postar um comentário

 
Bang Bang Escrevi | Todo conteúdo está sob a proteção da licença Creative Commons 3.0.