Resenha | A Menina Submersa, Caitlín R. Kiernan | Bang Bang Escrevi

Resenha | A Menina Submersa, Caitlín R. Kiernan

10 de ago de 2014
Título Original: The Drowning Girl
Autor: Caitlín R. Kiernan
I.S.B.N.: 9788566636253
Altura: 21 cm.
Largura: 14 cm.
Acabamento: Brochura
Número de Paginas: 320
Tradutor : Ana Resende e Carolina Caires Coelho
Editora: Darkside Books
Avaliação:


Sejam bem vindos ao estranho mundo de Caitlín! Confesso que foi uma tortura ler A Menina Submersa, não sei se foi pelo modo como o livro é narrado ou pela desenvoltura da história, mas... só por Deus. A história tem um pano de fundo bom. Imp, a nossa protagonista é esquizofrênica, pintora e está escrevendo um romance, o romance que lemos, porém ela não respeita as linhas normais de narração, onde um evento leva a outro e assim por diante, ao invés disso, você passa metade do livro perdido na cabeça de Imp, aonde ela fica te pregando peças e inventando coisas.

Talvez, existam pessoas que admirem isso, eu não sou fã desse tipo de história. Em muitos momentos a trama se arrasta, e a protagonista se torna repetitiva, entendo que isso deve ser um reflexo da sua personalidade, mas é cansativo. O livro levou um Bram Stoker, na capa tem uma crítica ambígua do Neil Gaiman, dizendo que "poucos escrevem como Caitlín", que devia ser uma advertência e não usado para aumentar as vendas dos livros, porque no fim a história em si é fraca é a personagem é muito forte. Eu prefiro o contrário. E sim, ninguém escreve como a Caitlín, ela é paranoica.

Mas como isso é só uma resenha pseudo-intelectual, já que não sou formado em letras e não entendo dos paranauês, queria falar que achei hiper forçado a Abalyn, uma das personagens do livro ser uma transexual, nem sei que gênero usar, mas Abalyn, nasceu homem e na história é uma garota, com quem Imp namora, outra forçada na barra, não sou contra o amor lésbico, longe de mim. Porém forçou, em outra parte do livro está escrito, acho que na sinopse ou na orelha, que A Menina Submersa tem um "quê" de Azul é a cor mais quente, não entendi a relação até ver o lesbianismo gritando solto. Vou me corrigir, não sou contra a atitude, mas a Abalyn tornou-se um mero estereótipo na história. Já não posso dizer o mesmo da Eva e do relacionamento dela com a Imp, também lésbico, mas muito mais profundo e complexo.

No mais, queria elogiar a sempre "trabalho bem feito" Darkside, o livro é lindo e com acabamento perfeito, mantendo a qualidade do que a editora vem produzindo. Sério, os livros da Darkside são praticamente edições de colecionadores, e isso é um diferencial e tanto hoje em dia, onde pra vender mais, tem que reduzir a qualidade do material. abaixo tem algumas fotos dos detalhes de A Menina Submersa.
Leia mais Resenhas
Victor Candiani

Uma pessoa que gasta muito tempo com livros, filmes e séries.

Comentários
0 Comentários
Deixe seu comentário
Postar um comentário

 
Bang Bang Escrevi | Todo conteúdo está sob a proteção da licença Creative Commons 3.0.