Crítica | Cavaleiros dos Zodíaco: A Lenda do Santuário | Bang Bang Escrevi

Crítica | Cavaleiros dos Zodíaco: A Lenda do Santuário

16 de set de 2014
Olá amigos, na crítica de hoje, entramos no túnel do tempo e saímos na infância, onde os problemas não eram tão grandes e a vida era apenas uma aventura. Sejam bem vindos.

A Lenda do Santuário é um portal, nossa, como lembrei dos meus tempos de TV Manchete. De correr da escola pra assistir Cavaleiros dos Zodíaco. Aff. Saudades. Masami Kurumada encantou inúmeras gerações com seus cavaleiros de bronze que tinham a missão de proteger a reencarnação da deusa Atena. Quem nunca soltou um Cólera do Dragão no chuveiro que atire a primeira a pedra.

A animação está linda, os efeitos espetaculares, claro que não possui o nível de animação da Dreamworks ou da Disney, mas o traço lembrou muito os do Final Fantasy, puxando os personagens para as suas origens manganescas, mas com as fisionomias dos mangas e animações mais recentes saindo do "chapadão" mundo 2D que amávamos, pra mim não deixou nada a desejar no quesito qualidade.

Outro detalhe importante, existe uma atualização no roteiro, como sabemos os desenhos costumavam ser muito machistas, em A Lenda do Santuário temos duas cavaleiras de ouro, eu acho, uma é certeza, a Afrodite não deu pra saber direito, risos. E também, existe um cuidado pra atualizar os personagens, o Seiya mesmo, ele é todo moderninho, com jaqueta college e cortaram o lindo cabelo púrpura da Saori. As armaduras são muito mais modernos, elas cobrem basicamente o corpo inteiro, e são carregadas em dog tags pelos cavaleiros. A montagem tem um quê de Transformers com Mark 3 do Homem de Ferro, e depois de montada, ela ganha umas linhas fluorescentes no maior estilo Tron. Eu gostei.

Não que exista algo que eu não gostei, mas pelo nível do filme e o público que ele pretende alcançar, acho que 1 hora e 20 minutos não são suficientes, cortaram diversas cenas clássicas do anime, não que fariam falta, mas como fã gostaria de vê-las. O tempo apertado do longa, dá a leve impressão de pressa no roteiro, com tudo acontecendo muito rápido e se desenrolando facilmente, quando sabemos que os cavaleiros de bronze apanharam eras pra passar pelas doze casas. Claro, além de ter dado a falta da clássica abertura. :/ fiquei até o último segundo na esperança de gritar "FAÇA ELEVAR...", mas não rolou.

Você que é fã, vai se sentir em um ambiente nostálgico e o suor pode vir a escorrer dos seus olhos, sem mais por hoje pessoal, bom filme pra quem for ir dar um vislumbre na infância.

Leia mais Críticas
Victor Candiani

Uma pessoa que gasta muito tempo com livros, filmes e séries.

Comentários
0 Comentários
Deixe seu comentário
Postar um comentário

 
Bang Bang Escrevi | Todo conteúdo está sob a proteção da licença Creative Commons 3.0.