Crítica | Vingadores: A Era de Ultron | Bang Bang Escrevi

Crítica | Vingadores: A Era de Ultron

1 de mai de 2015
É galera, estou com um pequeno delay na crítica, mas vamos lá, o quanto antes melhor.

Não tenho muita coisa pra falar do filme em si, mas sim, do que a Marvel vem fazendo, ou a Marvel Cinematic Universe (MCU). Eles estão apostando altíssimo, fizeram uma miscelânea de filmes, com diversos gêneros, para uma conclusão épica, isso é o que mais ouviremos nos próximos anos. A próxima fase da Marvel, a terceira. Vai chegar com filmes mais sombrios e com até possíveis mortes de personagens, isto é, the drama is coming.

Por que isso? Porque Vingadores: A Era de Ultron, foi exatamente o filme que eu estava esperando, mais clean e mais dramático, muito distante da comédia escrachada que tivemos Os Vingadores, onde a trama acaba ficando de plano de fundo da comédia. Porém, em a Era de Ultron, temos um amadurecimento geral da franquia, o filme por si aumenta as expectativas dos filmes que virão a seguir, temos conflitos de personagens e crises de identidade, ou o mínimo que esperamos de um filme bom com heróis.
A Era de Ultron, traz pra mesa a delicada relação do Gavião Arqueiro e da Viúva Negra com os Vingadores, afinal, eles são apenas humanos, ao lado de Thor, Deus nórdico, Capitão América e Hulk, super-soldado e experiência de laboratório e do Homem de Ferro, Gênio, bilionário, playboy e filantropo. O filme expões mais de uma vez a fragilidade dos personagens em relação a equipe e expões dilemas ainda maiores, como a preocupação da esposa do Arqueiro, em relação ao sentimentos da equipe por ele e do fato da viúva, não poder ser mãe. Eles humanizaram os personagens, tirando a carapaça indestrutível que vemos no primeiro vingadores, sensibilizado Lindo. Lindo. Lindo.

Em contrapartida, temos também o surgimento de personagens "aprimorados", que vem lá de Agents of S.H.I.E.L.D., onde o termo foi aplicado no episódio do dia 28/04, sendo que a estreia oficial de Vingadores: A Era de Ultron, é dia esta semana no resto do mundo, tivemos uma semana de antecedência, porque somos Tops. Enfim, o termo é utilizado para definir seres humanos que tem super-poderes, como o Mercúrio e a Wanda, e talvez, a galera de Agents of S.H.I.E.L.D., como a Skye e o Lincoln, acho que utilizaram esse termo, porque existe uma velha treta com a denominação Mutante, por causa de estúdios, direitos autorais e blá blá blá.
Em uma visão geral, o filme é visualmente bonito, a única coisa que as vezes não entendo é o excesso de destruição nas cenas, aceito a do Hulk com a Hulkbuster, mas ás vezes dá a impressão que os elementos em cena estão lá apenas para serem destruídos, sem falar na carga emocional que existe por traz de uma evacuação às pressas e tal, saiu um pouco forçado, mas são heróis né, o clichê era esperado.

Agora a treta mais linda, foi os Vingadores entrando em conflito entre si, que também, abre um leque excepcional de opções a serem exploradas. Vingadores: A Era de Ultron, firma-se como uma trama global, com conflitos acontecendo ao redor do mundo, o que justifica a necessidade de um Esquadrão/Time/Equipe, para resolver os problemas do mundo.

Por fim, vamos falar do Ultron, o vilão, ou quase isso. Já li algumas coisas por aí e tem gente que não aprovou o tratamento que deram para o Ultron, como um mero vilão, na verdade, eu vi muito mais que isso, vi que ele foi o colapso do Stark, que afinal, não pode tudo, e uma ameaça real em forma de Inteligência artificial, nos colocando em um cenário de ficção científica que vai continuar em Homem-Formiga. E também, com o nosso querido Visão, que deu um Tchan - como diz a minha namorada -, no filme, em um dos momentos mais emocionantes do filme, a interpretação de Paul Bettany, ficou ó, linda. O Visão é outro alicerce para o futuro da Marvel, mas nem vou entrar em detalhes, porque aí a conversa vai ser longa.

Vingadores: A Era de Ultron, já termina com uma nova roupagem, que nos faz esperar os próximos filmes ansiosamente, para ver o desenrolar da trama-mor.

Antes de ir embora, gostaria de acrescentar, ainda, que a MCU está apostando todas as suas fichas e fazendo o clássico Marketing de Guerrilha, atacando todas as mídias de uma só vez. Pois temos séries  rolando na TV Paga, Agent Carter e Agents of S.H.I.E.L.D., pela ABC e temos séries, também, no serviço de streaming do Netflix, por enquanto só Demolidor foi lançado, com 13 episódios, mas aguardamos mais quatro títulos, Punhos de Aço, Luke Cage, Jessica Jones e Os Defensores. Tá rolando um rumor de que o Justiceiro, também vai sair pela Netflix, com censura de 18 anos, em uma possível "Fase 2" nas telinhas. Isso sem falar nos 10 filmes que nos aguardam até 2019.

Passa a régua!

Leia mais Críticas
Victor Candiani

Uma pessoa que gasta muito tempo com livros, filmes e séries.

Comentários
0 Comentários
Deixe seu comentário
Postar um comentário

 
Bang Bang Escrevi | Todo conteúdo está sob a proteção da licença Creative Commons 3.0.